Podem os anestésicos locais ajudar no processo cicatricial das feridas cirúrgicas?

Podem os anestésicos locais ajudar no processo cicatricial das feridas cirúrgicas?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.55684/2024.82.010

Palavras-chave:

Anestésicos locais, Cicatrização, Neovascularização, Colágeno

Resumo

Introdução: Avaliar as diferenças cicatriciais entre áreas previamente anestesiadas com diferentes anestésicos locais é interessante para verificar se a escolha do anestésico auxilia na cicatrização cirúrgica em relação à inflamação, neovascularização e deposição de colágeno.

Objetivos: Revisar a literatura existente com foco de análise sobre o papel dos anestésicos locais no auxílio da cicatrização de feridas cirúrgicas.

Método: Revisão narrativa da literatura selecionada das plataformas SciELO – Scientific Electronic Library Online, Google Scholar, Pubmed e Scopus. Inicialmente a revisão realizou a busca por palavras-chave no foco da pesquisa, com base no MESH/DeCS com os seguintes termos: “anestésicos locais, cicatrização, neovascularização, colágeno” com busca AND ou OR, considerando o título e/ou resumo. A seguir, foram incluídos somente os que tinham maior relação ao tema, e realizada a leitura dos textos para inclusão.

Resultados: Foram incluídos, lidos e interpretados 73 artigos enfocando o papel dos anestésicos na cicatrização, dor, efeitos colaterais e os melhores que despontam na atualidade na analgesia e potencial cicatricial.

Conclusões: Não se observou diferenças entre anestésicos pesquisados quanto à cicatrização, inflamação e neovascularização. Contudo, verificou-se diferença significativa na produção de colágenos com intensidade de 6 a 12 vezes maior de colágenos tipos I, II e III com o uso da levobupivacaína.

Downloads

Publicado

27-02-2024

Edição

Seção

Artigo de Revisão
Loading...