A terapêutica endoscópica é segura e eficiente no tratamento de lesões localizadas no reto?

A terapêutica endoscópica é segura e eficiente no tratamento de lesões localizadas no reto?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.55684/2024.82.006

Palavras-chave:

Câncer colorretal, Adenoma, Mucosectomia, Displasia, Pólipo

Resumo

Introdução: O câncer colorretal está entre as neoplasias malignas mais comuns em todo mundo e as lesões pré-malignas que levam ao seu surgimento são os pólipos em seus variados tipos. Como forma minimamente invasiva a ressecção endoscópica desponta como método preferencial nas lesões focadas.

Objetivo: Efetuar revisão verificando se a terapêutica endoscópica é segura e eficiente no tratamento de lesões localizadas no reto.

Método: Revisão narrativa colhendo informações publicadas em plataformas virtuais (SciELO, Google Scholar, Pubmed e Scopus). Inicialmente foi realizada busca por descritores relacionados ao tema, os quais foram identificados por meio do DeCS/MeSH, a saber: “câncer colorretal, adenoma, mucosectomia, displasia, pólipo” e seus equivalentes em inglês “colorectal cancer, adenoma, mucosectomy, dysplasia, polyp” com busca AND ou OR, considerando o título e/ou resumo. Após, foram escolhidos somente os que tinham maior similitude, e realizada a leitura na íntegra dos trabalhos.

Resultados: Foram avaliados 41 artigos.

Conclusão: Com a evolução dos conceitos e com a melhora tecnológica, há possibilidade de diagnosticar cada vez maior lesões não-polipoides ou superficiais (superficialmente elevadas, planas ou deprimidas) e as lesões ou tumores de espraiamento ou crescimento lateral (LST, Laterally Spreading Tumor) que por definição apresentem diâmetro maior que 10 mm. A mucosectomia pode ser indicada para o tratamento minimanente invasivo ou prevenção nos casos ainda não avançados e que possam ser curados endoscopicamente.

Downloads

Publicado

22-02-2024

Edição

Seção

Artigo de Revisão
Loading...